anúncio

anúncio

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Ex - Amor

Quando por acaso
Numa conversa corriqueira
Eu falei do seu ex-amor
Seus olhos brilharam
E sua voz ficou embargada.

Ficou claro que seu ex-amor
Ainda mexe com o seu coração,
Você tentou disfarçar a emoção
E a tremedeira em sua mão.

Tudo que puder fazer
Foi calar minha dor,
Fazer de conta que não notei
O brilho nos seus olhos
E sua voz embargada.

Tive medo da verdade,
Você ficou assustada
Como se tivesse culpa,
Engolimos as palavras
E os sentimentos de ciume,
Ressentimento, amor e culpa

Eu subestimei o amor,
Brinquei com fogo, 
Deixei que o tempo
Apagasse as marcas
Como se fosse um nome
Escrito na areia da praia.

J.Nunes



Crime de paixão



Já ouvi o seu lado,
Conheço a sua história
Você já se defendeu,
Agora fique calado.

Quero ouvir o outro lado,
Quero a outra versão do fato,
Não me interesse o seu sentimento,
Estamos falando de razão,
Crime passional.

Não está em discussão
Se isso é amor ou paixão,
O que aconteceu foi um crime,
Uma violenta crise de ciúme

E tudo foi ao chão
Essa é a outra versão,
Você perdeu a razão,
Foi  sim um crime
Uma violenta crise de ciume.

Não me peça para olhar
Com o coração,
Porque sei que
A cela de uma prisão
Pode corroer essa paixão.

Se houve traição,
Ou se ela foi fiel,
Não é essa à questão,
O que aconteceu
Foi um crime de paixão.

J.Nunes


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Twitter José Nunes letras de músicas

Eu tenho fé em Deus

Eu tenho fé em Deus

Eu preciso de Deus na minha vida,
Não importa o momento,
Deus está comigo,
É meu fiel amigo,
Nos momentos felizes
Ele me traz mais alegria
Com a sua presença,
Nos momentos difíceis
Ele é o melhor amigo
Porque suas palavras são de esperança,
E o seu olhar é amor e compaixão.

Eu tenho fé em Deus
Por isso  não desespero,
Em Deus eu sempre espero
E sei que sua promessa
Serão cumpridas.

Quando vejo um amigo sem esperança,
Quando vejo esse mundo
Cada vez mais atormentado,
Eu desejo que tenham fé em Deus
Para que possam ter alegria e paz.

J.Nunes

15-01-2018




sábado, 13 de janeiro de 2018

Lapidação

Me fizestes voltar
Soldado derrotado,
Lutador vencido,
Fera sem garras.

Desejei à vitória,
Me deste a humilhante derrota,
Para que eu conhece o triunfo
Sobre o pecado.

Eu sou pedra bruta,
A ser lapidada.
Quem vê o brilho
De uma pedra
E não sabe da forja,
Do fogo e do ferro.

Os filhos de Deus,
Os santos dos céus
Foram tentados,
Provados por amor
E lapidados no ferro,
Na forja e no fogo,
Agora são jóias raras do criador.

Me chame pelo nome



Dessa vez não vou fugir,
Me chame pelo nome,
Que eu salto em queda livre,
Me chame das profundezas,
Me chame das alturas
Que eu salto para te encontrar.

Me chame pelo nome
Me dê uma missão,
E um destino,
Só me diz qual é o caminho.

Me chame pelo nome
Que eu vou ao seu encontro,
Sou aquele filho
Que andou perdido.

Meu Pai
De braços abertos,
Me chame no caminho,
Que eu vou correndo te encontro.

Meu Pai,
Me chame pelo nome.

J.Nunes

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Para Wang Fuman

Para Wang Fuman

Para um menino
Em busca de conhecimento
Nem o frio, nem à distância  
Nem a neve, o gelo e o tempo ruim
Podem impedir.

Um menino que deseja aprender
Vai muito além de suas forças,
Vai muito além da minha compreensão,
Enfrenta o mundo,
Supera o medo,
E emociona com sua vontade de aprender.

Para um menino
Que sabe o valor do conhecimento
Mesmo coberto de gelo,
Mesmo machucado,
Mesmo na estrada de neve,
Mesmo com as portas fechadas pelo caminho,
Mesmo com a mãos congeladas,
Com tudo, esse menino segue as estradas
Que levam  à escola,
Seu caminho era de frio e gelo.

A vida quis mostrar para o mundo
O quando ele quer aprender,
Quem sabe um dia,
Um caminho de sol
E portas abertas pelo seu caminho.


J.Nunes   12-01-2018

Wang Fuman no colégio.
Uma camada de neve cobre o cabelo, as mãos e a sobrancelha de Wang Fuman, um menino de oito anos que caminha todo dia uma hora e meia para ir à escola. Fuman mora na localidade de Zhaotong, na zona rural da província de Yunnan, sul da China. Nos dias de aula, o menor percorre 4,5 quilômetros sob uma temperatura de nove graus abaixo de zero. Graças a seu professor, as imagens foram divulgadas ao mundo através das redes sociais.
As fotos mostram um garoto protegido por uma roupa muito fina e com as bochechas vermelhas de frio. Mas, embora sempre chegue ao colégio um pouco molhado devido à neve, ele nunca falta às aulas. Foi um professor da escola primária de Zhuanshanbao, frequentada pelo garoto, situada no vilarejo de Xinjie, no sul da província de Yunnan, que decidiu fazer uma foto dele. O site thepaper.cnrecebeu as imagens e as difundiu para o mundo.
As mãos congeladas de Wang Fuman.
Outra foto mostra mãos ressecadas e muito machucadas, que poderiam ser as de um idoso. Mas realmente são as mãos congeladas de Fuman, que não tem luvas para se proteger nas longas caminhadas. Por trás do menor com as roupas úmidas, é possível ver como outros garotos, colegas dele no terceiro ano do primário, riem do seu aspecto.
O menor mora com a avó e uma irmã mais velha numa casa de barro com teto de palha. Sua mãe os abandonou e seu pai não o vê há meses, pois trabalha em outra cidade. Na China, Fuman integra o grupo das “crianças abandonadas”, aquelas que não vivem com os pais porque eles trabalham em municípios distantes de suas casas.
Wang Fuman em sua casa.
Wang Fuman em sua casa. PEOPLES DAILY
As imagens do menino comoveram o mundo todo. Viralizaram e foram compartilhadas por centenas de milhares de pessoas nas redes sociais. Algumas manifestaram seu apoio e quiseram ir além, oferecendo-se para doar roupas de inverno para que o estudante possa suportar melhor as gélidas temperaturas que enfrenta diariamente. As próprias autoridades de Yunnan organizaram uma campanha para receber doações a Wang e outros meninos da região. “Wang caminha todo dia uma hora e meia, a uma temperatura de nove graus negativos. É um exemplo”, disse o diretor do colégio, ressaltando também a facilidade do garoto para a matemática.

anúncio