anúncio

anúncio

domingo, 15 de outubro de 2017

O Homem Sem Deus

O Homem Sem Deus

Compositor: J.Nunes

O homem sem Deus
Sem o livro sagrado
Sem a prece quando vai se deitar
Sem a prece quando se levanta
Sem a gratidão pelo alimento em sua mesa
Pelo teto que o protege do frio
Pela roupa que o veste
Pelo irmão que lhe estende a mão

O homem sem Deus
Segue seus instintos
Feito um lobo voraz

O homem sem Deus
Sem a morte do pecado
Sem a virtude do amor e do perdão
Sem o perfume, sem as flores da alma
Sem o conhecimento e a educação
Segue seu instinto selvagem
Feito um lobo voraz

Somente através da fé
O homem chega à perfeição
E a semelhança com Deus

15-06-2017

Letra enviada por J.Nunes

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

MOEDA DE TROCO

Depois de dar o troco
Você diz que me perdoou,
Paga com a mesma moeda
E diz que esqueceu.

Ninguém mais aquenta
Esse nosso jogo,
Essa nossa falta
De vergonha na cara.

É pegar ou largar,
Temos que mudar
Esse roteiro de novela,
Ninguém mais quer saber
Dessa nossa pouca vergonha,
Dessa nossa história mal contada.

Estamos acertados,
Chega de pagar com a mesma moeda,
Chega de dar o troco,
Ou a gente se respeita
Ou acaba de vez 
Com esse roteiro de novela.

Não quero mais ninguém em minha vida
Servindo apenas de moeda de troco.
Já tá na boca do povo,
Ninguém mais leva a gente a sério...

Todo mundo sabe
Que não cabe entre nós dois
Uma outra pessoa,
Porque a gente se ama,
Mas tá faltando vergonha na cara.
Já passou da hora de acabar
Com essa novela....   
     
J.Nunes




     

Novidade

Novidade

Olhe o céu de manhã
Há sempre novidade...
Coisas que o vento faz,
Coisas que o vento traz.
Olhe o sol de manhã
Deixe sua luz
Entrar em sua casa,
Iluminar a sua vida.
A tarde, nesse quadro azul,
O sol vai pintar
As nuvens de outras cores.
Olhe por onde entra
O raio de sol,
Escute por onde passa o vento,
Há sempre uma saída
Há sempre uma novidade.
Basta que você aprenda
A olhar o sol, o céu
E o seu interior;
Escutar o seu coração,
Dele vem à resposta.
Não é o mesmo céu,
Há sempre novidade
Para quem olha a vida
Com os olhos da alma.
J.Nunes

sábado, 30 de setembro de 2017

Caçadores

Caçadores

Temos as mesmas necessidades dos homens da caverna,
Somos caçadores em um outro tempo,
Temos outras ferramentas e outros presas...
No fundo somos iguais aos primatas,
Caçamos  o nosso sustento.

Somos caçadores gulosos e egoístas,
Matamos muito mais do que podemos comer,
Devastamos à região de caça
E deixamos nossos semelhante sem ter o que comer.

J.Nunes



sábado, 15 de julho de 2017

Arraia

Arraia

Um pássaro pescador
Voa e persegue um peixe
 Num céu azul como o mar.

Uma arraia voa ou nada
Em um céu azul como o mar
E salva o peixe do bico
Do pássaro pescador.

Do fundo do mar
Ou da superfície da terra,
De baixo para cima
Tanto faz se isso é fundo das águas
Ou chão de terra seca.

Tanto faz se nada ou voa
Sobre à superfície no mar
Ou no alto do céu.

Nesse plano astral
Tanto faz se o elemento
Água ou ar.
Nado no vento,
Voo nas águas.

J.Nunes  05-07-2017

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Recaída

Aprendi que não posso vacilar,
Se eu descuidar você me arrasta
Para a sua teia.

Você me faz tanto mal.
Te querer é como um vício,
Você só precisa dar um sinal,
Se eu te vejo, tenho recaída,
Se você me toca;
Não sei te deixar ir embora.

O seu olhar, um sorriso seu
Me trás de volta a essa vida
De esperar que você
Um dia saiba o que é o amor.

Dessa vez eu cai no seu laço,
Dessa vez eu adormecido no seu abraço.
Acordei jurando por Deus,
Pedindo pra Deus me livrar de suas tentações.
Você me faz tanto mal.

 J.Nunes. 05 -07-2017

sábado, 24 de junho de 2017

Sobre a luz de Lisboa

Lisboa 

Por que você ainda inventa
Razões para a gente se encontrar,
Não temos mais nada para conversar,
Já falamos tudo que tinha para falar,
Você mesma colocou 
Um fim em nossa história.

Eu deveria estar vivendo em Lisboa,
Na cidade do Pessoa,  
Do outro lado do mundo,
Ainda estou aqui escutando 
As mesmas promessas e o mesmo sonho.

Eu deveria  estar respirando outros ares
Vivendo outros amores,
Sobre a luz de Lisboa, 
Ainda estou aqui nessa porta
Recebendo vinhos e flores,
Lendo sua mensagem no celular  
Pedindo para  recomeçar.

Deixe  essa vida para trás 
Venha comigo para Lisboa,
Para sua luz  e seus lugares, 
Quem sabe outros ares 
Faça bem para o nosso amor.

Dessa vez sou quem vou 
Por fim em nossa história,
Não mande mais vinho e flores
Nesse endereço, 
Vamos comigo para Lisboa,
A cidade do Pessoa, 
Vamos  respirar outros ares 
Vamos namorar sobre a luz de Lisboa. 

J.Nunes 

24-06-2017



anúncio